Brainstorm – Cada Vez Pior

Estava eu fazendo uma resenha, mas após um papo no Gtalk com um amigo de longa data regado a muito conhaque, não estou em condições de fazer um texto respeitoso sobre um livro que possui mais falhas do que méritos. Porém, como diria Spider Jerusalém, meus testículos de escritor estão fervendo, então vamos dar vazão ao que está querendo sair da minha cabeça.

(sim, seus punheteiros de merdas, eu sei que o bom e velho Spider disse  “jornalista” e não “escritor”, mas vocês entenderam, porra)

Caralho, como eu errei no primeiro parágrafo do texto. Fiquei um bom tempo corrigindo os erros. Só os deuses sabem o tempo que vou passar corrigindo este parágrafo e os próximos para amanhã constatar que perdi tempo inutilmente tentando corrigir coisas que escapam à minha mente ébria. Foda-se. Vamos prosseguir.

(…)

Acabei de virar um bom gole de uma caneca que estava vazia. Caneca esta que tem com tema o acima citado Spider Jerusalem. Ciclos, ligações, insigths, coincidências, sincronicidades. Liguei meu Atrator de Sincronicidades há muito tempo e vira e mexe eu esqueço de desligar . Aí temos um monte de fatos aleatórios formando um padrão que pode ser real ou puro fruto de uma droga legal. Julguem por si mesmos.

(coçando a barba e tentando formular ideias que não conseguirão trilhar todo o caminho entre meu cérebro e as pontas dos meus dedos)

Aí você vai mijar e encontra uma barata. Rola aquele papo maneiro com um de seus Totens Animais e tudo faz sentido. Elas realmente estão em todos os lugares e todos os tributos feitos estão sendo devidamente retribuídos. A tatuagem não pode passar deste ano. Elas fizeram a parte delas. Tenho que fazer a minha.

(…)

Eu sou o Rei Calango e eu posso fazer o que eu quiser.

(…)

Aí uma stripper nerd te pergunta se está drogado. O quão bizarro é isso? Ouvir Doors sempre abre portas quando estou chapado, por mais clichê que isso possa parecer. Já acessei tantas coisas ouvindo esse álbum que não duvido que o simples ato de apertar “play” já foda com tudo.

(…)

Acabaram de me chamar divindade e de me cobrar uma dívida. Porra… Também chamaram de doente e me pediram dicas de auto-ajuda. Não sei se fico feliz ou ofendido.

(…)

Essa merda de mouse tá zoado e dá duplo-clique sem eu querer. Os mouses do trampo dão o mesmo problema. Malditos gremlins.

(…)

Mais uma vez eu comprovo que nada que preste sai quando estou muito louco. Critiquem o texto à vontade nos comentários. Foda-se.

 

 

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Mário Henrique  On 23/02/2012 at 13:20

    É, ficou uma bosta mesmo. Viaje por sete anos e escreva por três meses. Isso costuma ajudar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: