Dossiê #FORAREITORUFPI

Esse dossiê foi criado graças a hashtag do twitter #FORAREITORUFPI, no qual os estudantes da Universidade Federal do Piauí postaram links com notícias da má administração do Reitor Luiz Junior. Além da minha experiência pessoal na instituição referida.

Talvez esse imenso artigo só interesse a quem vive na UFPI, mas deixo claro que a principio não acredito mais na Universidade como centro de discussão e projeção de idéias, hoje servindo EXCLUSIVAMENTE como extensão do ensino médio e escada para o mercado de trabalho, se servindo da reprodução de reproduções de bibliografias por mitose. Porém vejo que o que vem acontecendo na UFPI pode ser sintomático do que ocorre em todo o ensino superior brasileiro, revelando uma hierarquia fétida das nossas Instituições Federais. Começo agora um relato um pouco detalhado das sujeiras da segunda gestão do Reitor da UFPI.

Segunda Administração de Luiz Junior

2008

Cartões Corporativos e improbidade administrativa

O atual reitor, Luiz Junior, da Universidade Federal do Piauí foi reeleito em maio de 2008, tomando sua segunda posse oficialmente em novembro. Neste mesmo ano acusações antes silenciadas ou que ficavam apenas no âmbito interno da instituição explodiram tanto a nível estadual quanto nacional. O principal veículo de exposição que desencadeou a mídia nacional por inteira foi a Folha de São Paulo que constatou – em meio a lambança de gastos indevidos em todas as UFs do país- que a UFPI havia sido a segunda universidade que mais havia gasto no uso de cartões corporativos. O gasto em 2007 foi de R$ 402,8 mil, para ser preciso. O grande problema no uso do cartão corporativo é porque o dinheiro é sacado em caixa eletrônico, teoricamente para situações emergenciais, mas estava sendo usado para fins de farras administrativas em todo o Brasil. Na Unifesp, R$ 9.500 havia sido usado apenas em restaurantes, na UnB até pra pão e compras de supermercado o cartão foi utilizado, além de festas. Na UFPI ocorreu dois saques de 28 e 30 mil reais respectivamente, muito dinheiro para “emergência”. A desculpa que o reitor deu foi que os números só parecem exorbitantes, mas não são, e que a UFPI está em segundo lugar nos gastos apenas porque outras instituições não usavam o cartão até aquele momento. Indagada pelo Portal AZ em 2008, a professora Carminda Luzia que usou R$ 5.500, disse que compra “material de escritório, como cartuchos, fechaduras, copos, peças para carros da universidade”. 99% dos gastos com o cartão corporativo foi sacado em caixas eletrônicos, o que é minimamente estranho, pois poderia ter sido usado diretamente na compra dos materiais, sendo descontado na fatura, ao retirar no caixa o dinheiro fica sem previsão de gastos.

Por essas e outras (acusação de que havia contratação irregular de propaganda, sem uso do processo de licitação, somando R$ 116 mil, uma bela quantia) o Ministério Público Federal abriu inquérito para investigar o Reitor. Segundo o Procurador da República no Piauí Kelston Lages diz que Luiz de Sousa Santos Júnior e José Joacir da Silva cometeram “atos de improbidade administrativa, por terem causado lesão ao erário, diante de condutas dolosas” pois “realizaram operação financeira sem observância das normas legais, permitiram despesas não autorizadas em lei, liberaram verba pública sem a observância das normas vigentes e atentaram contra os princípios da administração pública” [1].

Porém antes de toda essa confusão o vice-reitor da gestão de 2004-2008, o professor Antônio Silva do Nascimento já delatava Luiz Junior como gestor autoritário, pois considerava que o “atual reitor impõe e desperta medo nos funcionários, tem uma política de toma-lá-dá-cá, e a academia não pode se submeter a processos dessa ordem” [2]. Ele usa como exemplo a sua remoção do cargo de Diretor do Hospital Universitário da instituição sem aviso prévio, ou qualquer tipo de conversação, sendo uma atitude arbitrária do Reitor que com uma canetada o tirou da função em Agosto de 2005, junto a isso denuncia a ocorrência de várias outras situações similares, em que pessoas foram destituídas dos cargos sem qualquer clareza quanto ao motivo.

Ainda em 2008 o Reitor destacou para o ministro da educação Fernando Haddad a “expansão da UFPI”, destacando dezenas de números enormes, usando a velha estratégia tecnocrática de que quanto mais os números aumentam mais as coisas estão melhores. Mentira. De 2004 para 2008 a instituição aumentou de 42 cursos para 92, porém como veremos adiante, ainda hoje esses cursos (e parte dos antigos “42”) estão totalmente desprovidos da estrutura física mínima para um bom ensino. O alunado, segundo o reitor, aumentou de 13 para 16 mil, porém o HU nunca foi inaugurado (promessa de mais de 20 anos) e os outros Restaurantes Universitários só começaram a funcionar recentemente, mesmo a Residência Universitária só tem espaço para algo em torno de 200 estudantes, não sendo suficiente pra suprir porra nenhuma do número de estudantes que vem do interior do estado ao Campus de Teresina, por exemplo. Na fala ao ministro, ele destaca que 12 novos cursos de pós-graduação haviam sido criados, como se fosse um feito dele e não das coordenações e departamentos de cursos que batalharam muito para conseguir. Já em 2008, o MEC através da intervenção do ministro da educação, transferiu 15 milhões para a conclusão do HU, que segundo o reitor na época, teria suas instalações físicas finalizada em setembro de 2008 (Hospital Universitário este nunca terminado, até hoje).

2009

Cartões Corporativos

O ano 2009 para a UFPI continuava a saga dos cartões corporativos, a procuradoria da união em protocolo de acusação pedia a devolução do dinheiro usado indevidamente. A Folha de São Paulo retorna a publicar um artigo sobre o caso dos cartões, agora especificamente sobre a UFPI e as acusações de improbidade administrativa do Reitor e outros administradores a sua volta. Irritado o Reitor diz que a especulação midiática em relação aos processos que ele está respondendo é apenas “falta de notícia na imprensa” [3]. Em maio deste ano, após ser chamado para depor na 1ª Vara, o pedido de afastamento do Reitor é negado pelo juiz Brunno Chistiano Carvalho Cardoso, da 5ª Vara, por falta de “provas incisivas”. Sendo silenciado até os dias de hoje.

Ministério Público

Outro processo sofrido pelo Reitor neste ano foi o aberto pelo Ministério Público contra a cobrança de taxa em curso de extensão e instrumental na UFPI, pois estes que deveriam ser gratuitos na instituição (que visa uma formação ampla e gratuita) possuem taxas de mais ou menos 100 reais (nos cursos de línguas: “Valor único por semestre de R$ 130,00 (cento e trinta reais) – valor base ago./2009. Os alunos deverão adquirir o material didático separadamente.” [4]), ou mesmo mais que isso por período. É interessante notar as proposições da ADUFPI (Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí) de que o Reitor escolheu o pró-Reitor Saulo Brandão para relator do citado processo do MP, e este Brandão é o mesmo que implementou as cobranças de taxas a partir do primeiro dia da primeira gestão do Reitor Luiz Junior. Por que ele acabaria com as taxas agora se ele mesmo as instituiu? Pergunta o Observatório Adufpi, realmente, não faz sentido. Depois disso os cursos de extensão de certa forma entraram em colapso, tendo suas execuções atrasadas em todos os períodos subseqüentes a acusação do MP.

Autoritarismo

Para citar um exemplo de autoritarismo em 2009, o Reitor exonerou Kilpatrick Muller da presidência da COPESE (A Coordenadoria Permanente de Seleção do vestibular da instituição) após este acusá-lo de ter “práticas patrimonialistas”, ou seja, agir com a propriedade e dinheiro público, como se fosse um bem individual. A ADUFPI pediu a abertura do inquérito referente a exoneração, mas não foi respondida.

Greve de estudantes

clip_image002

Contrariando o discurso tecnocrático e numérico do reitor em 2008 para o Ministro da Educação Haddad, os estudantes da UFPI no Campus da cidade de Parnaíba entram em greve contra a falta de infra-estrutura mínima para realização dos seus cursos. Os cursos que entraram em paralisação foram: Fisioterapia, Psicologia, Bio Medicina, Engenharia de Pesca, Matemática e algumas turmas de Turismo; reivindicando mais salas de aulas, equipamentos e laboratórios. “Não é admissível esse total desinteresse da Instituição com a formação de seus alunos, no curso de Fisioterapia, por exemplo, estamos tendo aulas práticas no chão, porque faltam até mesmo macas” [5] diz uma estudante ao Portal AZ. Em 2010 e até em 2011 essas manifestações continuam, e como veremos adiante não são bem vistas pelo magnânimo Reitor.

Violência

No final de 2009, em um episódio trágico estudantes apanham de seguranças da UFPI em uma manifestação que não era violenta. O fato é que a instituição iria ceder ao ex-governador Hugo Napoleão, amigo pessoal do Reitor, um titulo Doutor Honoris Causa, que a comunidade acadêmica recebeu negativamente e compareceu para protestar contra essa afronta a moral da instituição, pois Hugo Napoleão faz parte do grupo político que dominou o estado durante a ditadura militar e até os fins da década de 90, além de ter sido acusado de desvio de 6,7 milhões de reais em 2003.

Um grupo pequeno de apenas 30 estudantes mais ou menos se reuniu em frente ao local onde o titulo estava sendo entregue e gritaram coisas como “Hugo ladrão, Reitor também ladrão” e foram recebidos em um espaço que era normalmente de livre passagem, por uma barreira de guardas que agiram violentamente atacando os estudantes e rasgando faixas que foram levadas, por ordem da administração superior, a magnificência Luiz Junior. Descreditando mais uma vez o nome já sujo da instituição e colocando de vez o nome do Reitor não apenas entre a fauna urbana dos colarinhos brancos do país, mas também entre os mais autoritários administradores públicos. Apenas em abril de 2010 os seguranças foram condenados pelas agressões, porém como sempre, sem atingir a figura do Reitor: http://www.180graus.com/geral/segurancas-da-ufpi-que-agrediram-estudantes-sao-condenados-321842.html.

clip_image004

Não esqueçamos também, que o ano termina sem o Hospital Universitário se quer estar próximo de sua conclusão estrutural, muito menos de sua inauguração que não aconteceu até hoje.

2010

Nova acusação do MP

Em janeiro de 2010 Kilpatrick Muller, aquele que foi exonerado do cargo de presidência da COPESE em 2009 por não ter assinado um pedido do Reitor, resolve abrir o bico e denuncia ao MP enriquecimento ilícito por parte de Luiz Junior e outros administradores através de dinheiro da universidade. Valores que segundo o proponente da acusação, é superior a um milhão de reais. Diz que cada membro da COPESE recebeu em torno de 31 mil reais, quando só deveria ter recebido no máximo 4 mil. O reitor rebate a acusação dizendo que Kilpatrick é medíocre e faz parte da oposição, como se apenas isso servisse para encerrar as investigações (e serviu). Além disso, ele relembra o motivo pelo qual o referido professor foi exonerado do cargo de presidente da COPESE: “Ele (Kilpatrick Muller Bernardo Campelo) foi demitido por incompetência. Chegou um dia que precisava assinar uma documentação e não aceitou. Eu estava viajando para Fortaleza-CE e liguei para ele para saber o que aconteceu. Mas ele insistu em dizer que não ia assinar. Quer dizer, descumpriu com o que a UFPi estabelece e perdemos a confiança nele. Daí resolvemos demiti-lo” [6]. No entanto, que tipo de documentação era essa que ele queria assinar? Não é dito. O que me parece evidente é que o dinheiro corre solto na COPESE e na Fundação Cultural de Fomento à Pesquisa, Ensino e Extensão da UFPI, principalmente para os aliados do Reitor. Mas é bom notar que todos os aliados do magnânimo em um momento ou outro viram de lado, pois até aqueles que ocuparam cargos de confiança designado por ele, se viram contra sua tirania.

Mídia

O notório é que a mídia olha para a universidade com olhos viciados, apontando a UFPI apenas como um local de eminente progresso tendo em vista as obras advindas do dinheiro do REUNI. Obras essas, porém, que parecem nunca chegar a sua conclusão, como o HU, parte do Centro de Tecnologia e as estradas que cortam o campus de Teresina.

As denuncias ocorridas junto ao MP, tem cobertura inexistente nos jornais impressos, muito poucos desfechos na mídia virtual e alguns flashs desinteressantes no jornalismo televisivo, revelando o pouco interesse da imprensa local com a saída do reitor, talvez porque o estado como um todo bebe da fonte acadêmica da UFPI, ficando literalmente com o rabo preso.

Não podemos esquecer também que a UFPI só fica atrás financeiramente no estado do Piauí na verba recebida, ao Governo do Estado e ao município de Teresina, sendo superior portanto a 99,9% do orçamento de todas as outras instituições do Piauí, o que torna Luiz Junior, Reitor, o terceiro homem politicamente mais forte do estado. Qual o interesse da mídia em meter o nariz em alguém assim? Nenhum.

Canteiro de Obras ilimitado

Em março a UFPI recebe mais 30 milhões do Ministério da Educação e Cultura, cujo 19 milhões vão ser investidos no HU mais uma vez, para compras de equipamentos, que o Reitor prometia finalizar a obra em 2008 e comprar equipamentos em 2009, junto a esses 19 milhões se tem os 15 milhões de 2008, somando 34 milhões que superam a expectativa de 30 milhões necessários para a construção da obra, que permanece inacabada até hoje, após 20 anos de desvios constantes, metade deste tempo sob gestão de Luiz Junior.

Numa inauguração de blocos do Centro de Tecnologia, estudantes e professores fizeram manifestações contra o autoritarismo do reitor Junior. Primeiramente pelos desvios de verba que vinha cometendo nos últimos anos e depois contra mais um golpe desferido contra a democracia. O que acontece é que um diretor de centro foi eleito no CT, porém o reitor empossou alguém de sua laia e não aquele escolhido de forma democrática. Com apitos e gritos os estudantes e professores se mantiveram em frenesi gritando frases e segurando faixas contra o ditador da UFPI. A brecha encontrada pelo Reitor para empossar o perdedor nas eleições de centro é que: “por lei, para ser diretor de qualquer centro acadêmico hoje, é preciso ter uma especialização a mais, é preciso ser no mínimo doutor”.

Ainda em 2010, por volta de abril, começou a construção de um Portal inútil academicamente, com custo de mais de 1 milhão de reais, que só foi inaugurado em 2011. O tal Portal serve apenas para coroar o gosto por obras faraônicas do reitor, cujo pelo menos essa foi construída dentro do prazo, já as outras… mas ainda assim, uma obra inútil e se servia para embelezar e dar uma autoridade estética para a instituição, falhou amargamente, pois não passa de um pastiche moderno dos anos 70, totalmente ultrapassado e sem sal, futurismo retrogrado, eu diria. Retrogrado, insalubre, inexpressivo, e desnecessariamente caro.

clip_image006

PSIU

Sem nenhum debate com os estudantes, ou estudos aprofundados na utilidade do ENEM no ensino superior, o Reitor adere completamente ao SISU, abandonando o Programa Seriado de Ingresso na Universidade. O problema em si não é a adesão ao SISU, mas a falta de atitude democrática, a falta de debate com os principais interessados: os estudantes.

Ocorre uma super-valorização do SISU, esquecendo-se os problemas básicos que permeiam a UFPI. Louvam o que o programa tem de bom, mas se negam a ver os evidentes problemas que serão causados. Por exemplo, a Residência Universitária passa infinitamente longe de suprir a demanda de estudantes do interior do estado que vem para a capital, imagine com os estudantes que vem de outro estado? Mal cabe 150-200 estudantes lá, imagine 500, 1000, e assim por diante. Mesmo assim um dos argumentos para aderir ao SISU é a mobilidade do corpus estudantil… como se tivéssemos na UFPI estrutura mínima para isso.

Mais denuncia no MP

O Ministério Público abre processo através de denuncia da ADUFPI sobre a irregularidade das realizações dos concursos públicos realizados na UFPI. Segundo a ADUFPI o Decreto 6.944, de 21 de agosto de 2009 diz que as apresentações orais e as defesas memoriais devem ser gravadas, para avaliação posterior. Isso visa que a cúpula administrativa não manipule livremente os resultados dos concursos, pois os critérios usados para formação das bancas, são basicamente: ser amigo do rei ou amigo de um amigo do rei.

Mais agressão

As manifestações pedindo estrutura mínima de estudo continuam acontecendo no campus de Parnaíba. Ao saberem da presença do reitor na cidade, os estudantes paralisam o carro do magnânimo quando ele se dirigia para a inauguração do Restaurante Universitário e quando menos esperavam, foram agredidos por seguranças ao mando do reitor. Outros estudantes tentaram se aproximar, para pedir explicações sobre a situação precária dos seus cursos e foram também recebidos com agressões.

Oficialmente a UFPI negou através de nota ter ocorrido alguma agressão, o mesmo que aconteceu em 2009, mas ao menos os guardas que agrediram os alunos em 2009 foram condenados, desmentindo a nota emitida pela instituição. O reitor se negou a conversar com os alunos, mesmo que antes tenha prometido realizar uma audiência. Foi embora do campus após a inauguração do RU ter ocorrido debaixo de intensa vaia do começo ao fim, um demonstrativo da insatisfação dos estudantes de Parnaíba, que o fez correr de volta pra Teresina onde fica mais seguro.

A Direção do Campus de Parnaíba, as únicas pessoas que tiveram a “honra” de entrar em dialogo com o Reitor no momento da inauguração do RU de lá, ainda tiveram o disparate de mandar uma nota de repúdio à manifestação dos estudantes, se referindo a ela como “desrespeitosa” e “ilegítima”. Pois, segundo a direção, através da estratégia tecnocrática de vomitar números, o campus de Parnaíba melhora vistosamente se comparada com antes das eleições de Luiz Junior! O único problema seria que o número de alunos aumentou, como se isso não fosse algo causado justamente pela política do senhor autoritário reitor. Enfim, os mesmos problemas que Junior deixava subentendido em 2008 ao então Ministro da Educação, cabem nos benefícios que o Diretor do Campus diz ter sido garantidos com a existência do magnânimo.

No meio dessa confusão e agressão em Parnaíba, termina 2010 de forma obscura na UFPI.

2011 e os problemas atuais

Vou relatar agora brevemente alguns problemas que vi em 2011. O HU parece que depois de 20 anos em obras vai finalmente ser finalizado, porém, corre sério risco de uma privatização parcial por causa da MEDIDA PROVISÓRIA Nº 520, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. Vai ter muito burburinho e provavelmente agressão nas manifestações.

O Espaço Cultural Noé Mendes, onde acontecem frequentemente as culturais, calouradas, enfim, os eventos dos estudantes da UFPI estava em reforma desde 2010, mas parece que também vai ser reinaugurado esse ano, após investimentos que chegam a 1,3 milhões. Só que também vai ser parcialmente privatizado. Antigamente para se usar o espaço, bastava um cheque calção, para cobrir eventuais custos, caso fosse necessário, mas o que consta no novo projeto do espaço é que vai ter que se pagar taxas de uso, um cheque calção absurdo, entre outras barreiras. Basicamente vai impossibilitar o uso de um espaço que é publico, por causa de taxas altíssimas que podem chegar a 1000 reais com facilidade. Enfim, uma putaria do caralho que certamente vai beneficiar o bolso de algum amigo do reitor. Em breve vai ter muita confusão por lá, disso não tenho duvidas, é só esperar.

As greves continuam intensas em Parnaíba por parte dos estudantes e o Reitor diz para a imprensa que não EXISTE problema nenhum no campus, e fica por isso mesmo. Nada muda por lá, mesmo marasmo e um canteiro de obras infinito.

A UFPI passou quatro anos expandido seu espaço e só agora tiveram a inteligente idéia de aumentar o número de subestações de energia elétrica. Ou seja, planejamento zero, caso a instituição estivesse realmente zelando por um desenvolvimento minimamente sadio isso deveria ter sido uma das primeiras coisas a ter sido construída. Parabéns Reitor e equipe.

Não é só o Reitor que é problemático, basicamente todos aqueles que estão lotados em cargos de confiança, que são os mais importantes e bem remunerados da Universidade, partilham de seu autoritarismo. Como exemplo cito a Prof.ª Dr.ª Antonia Dalva França Carvalho, chefe da comissão de currículo da UFPI e Coordenadora institucional do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID que vem usando de sua autoridade para de forma vexatória ameaçar e inibir professores e estudantes da instituição. Temos o caso do curso de história, que nunca teve seu novo currículo aprovado nos últimos sete anos, apenas por má vontade da referida professora com o curso. Essa mesma senhora é responsável por me reprovar no primeiro período de 2010 em Psicologia da Educação 1 apenas porque a desafiei em sala de aula, dizendo que sua aula era adestradora, antiquada e positivista, após ELA mesma me perguntar diante da turma. Lembro também que ela ameaçou reprovar em sala de aula quem falasse mal do rei-THOR. Uma vergonha pra uma instituição democrática e produtora de conhecimento… em teoria.

Enfim, já chega, esse post vai ficar gigante assim mesmo, pois é um dossiê sobre as atitudes do crápula.

Por causa de tudo isso que falei até aqui é que ando insistindo nessas ultimas semanas com a tag #FORAREITORUFPI e vou continuar por um tempo se você puder ajudar, seria ótimo!


[1] http://180graus.com/politica/reitor-da-ufpi-e-acusado-pelo-mp-e-a-folha-de-sp-repercute-80467.html

[2] http://www.portalaz.com.br/noticia/geral/97842/623

[3] http://www.cidadeverde.com/ufpi-reitor-diz-que-e-falta-de-noticia-acusacoes-do-mpf-31269

[4] http://www.ufpi.br/cecli/arquivos/file/guia_aluno.pdf

[5]http://www.portalaz.com.br/noticia/municipios/137483_sem_estrutura_estudantes_iniciam_greve_na_ufpi.html

[6] http://180graus.com/geral/reitor-da-ufpi-acusado-de-suposto-desvio-de-r-1-milhao-285265.html

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Felipe Vieira Braga  On 14/05/2011 at 11:05

    Olá kro agrt. Estudei na UFPI de 2004-2009. Realmente os casos de corrupção são muitos por lá, só acredito que no seu rompante de atacar o reitor esqueceu um fato básico. As duas vezes que o reitor foi eleito, foi devido à votação (1/3 estudantes, 1/3 funcionários, 1/3 professores). Isso para mim sugere que o reitor não é per si a causa, mas apenas um reflexo da maioria do corpo docene e discente de nossa universidade. Também tenho um ponto de discordância básico com seu pensamento quanto à função da universidade: a função dela para mim, é criar bons profissionais, que sejam capazes de realmente fazer o melhor para nosso país. E desenvolver a pesquisa cientifica, que apenas com isso poderemos deixar de ser um país de base agrária, apoiado em commodities. De resto, ótimo texto.

    • agrt  On 14/05/2011 at 15:39

      Sim felipe, estou ciente do fato de que o reitor foi eleito por votação, na primeira campanha é até compreensível, na segunda provavelmente caiu no erro básico da democracia representativa que é o uso da maquina administrativa e de influência para se reeleger e etc. o texto tinha muita informação, então não tive exatamente como falar disso, comentei apenas aquilo que consegui me informar pela tag do twitter. Mas quando eu falo dos que se uniram a ele desde a primeira administração, acho que fica claro que existe todo um aparato de silenciamento e perpetuação do Reitor na instituição.
      Quando eu disse que a universidade tem que servir ao conhecimento eu quis deixar claro que o problema atualmente é que ela serve EXCLUSIVAMENTE para formar profissionais, note bem: EXCLUSIVAMENTE. O conceito de “desenvolvimento” do país através de “bons profissionais” é relativo, o Brasil vem crescendo e não vem se desligando da base agrária, pq? Justamente pq a formação de bons profissionais não é considerada exatamente a formação de profissionais reflexivos e sim profissionais eficientes, que vão aumentar indicadores númericos mas não a qualidade da vida das populações. Por isso se um funcionário é apenas eficiente, ele não está ajudando tanto a desenvolver o país, não tá dando tanto retorno pra população que investe nele através dos impostos e bla bla bla, está melhorando o país e a sua vida individual mas não a população. Formar bons profissionais que não sejam minimamente produtores de conhecimento e por isso reflexivo, é servir justamente aos interesses dos grandes empresários, que querem transformar de vez as UFs em simples fonte de mão-de-obra especializada cada vez mais barata. Ao menos eu vejo assim.

    • Cure  On 22/06/2011 at 17:55

      Não sabia que esse esquema de votação acontecia até em faculdades. Na ETE Getúlio Vargas aqui em São Paulo o diretor foi reeleito no sufoco por que foram raros os funcionários e alunos que voltaram nele. Aliás, passaram uma lista de votação para os alunos do técnico de Nutrição assinarem sem antes avisar que aqueles que assinavam votavam no diretor.
      Enfim, é trágico descobrir que entre as instituições do Ensino Superior também estão infectadas como as do Ensino Fundamental.

    • Espetacular SuperUFPI  On 20/12/2011 at 0:42

      O fato do Reitor ter sido eleito não significa uma carta branca para praticar qualquer ato que bem entenda, como por exemplo desviar milhões, enriquecer ilicitamente, perseguir professores que o denunciam.

      Mai absurdo ainda é que se um político ou reitor rouba, isso significa que seus eleitores são ladrões!!!

      Deixemos de tentar desculpara o indesculpável ou buscar uma falsa logica que justifique simplesmente um fato: o Reitor pé responsável por seus atos, e se pratica ilegalidades não merece o cargo e deve pagar pelo que faz!

      Avante SuperUFPI!!! http://www.superufpi.blogspot.br

  • Iury BAS  On 14/05/2011 at 11:45

    Não tenho o que falar, mas é algo vergonhoso como este homem ainda possa estar em tal cargo, mesmo com o numero gritante de processos e denuncias ao seu respeito. Caso típico de politica brasileira, onde o poder cala a impressa (que esta do lado do poder) e o dinheiro publico é utilizado sem o mínimo respeito.

    Sem falar no seu caso com a professora Antonia Dalva França Carvalho, que vergonhosamente deforma tudo aquilo que uma universidade representa: Conhecimento, mudança e contestação. Muito triste esta sujeira toda.

    Parabéns pelo ótimo texto

  • afonsocepeda@yahoo.com.br  On 15/05/2011 at 13:24

    Amigos, gostaria de entrar em contato com vocês, pois tenho uma denuncia p/ ser divulgada.

    Leiam na pagina da ADUFPI o resumo dela: http://www.adufpi.org.br/noticias/boletim-adufpi-encontro-da-adufpi-com-a-regional-de-picos-se-da-em-clima-de-indignacao

    A noticia que trata “Ministério Público Federal abre inquérito para apurar indícios de irregularidades na convocação de tutores pela Universidade Aberta do Brasil e Universidade Federal do Piauí”.

    Nao encontrei o twitter fora reitor

    meu e-mail: afonsocepeda@yahoo.com.br

  • afonsocepeda@yahoo.com.br  On 16/05/2011 at 21:45

    Pessoal, gostaria que divulgasse essa denúncia de fraude em concurso na UAPI/UFPI e de perseguição a técnico-administrativo. O video que está no youtube trata da comissão apuradora da denuncia negando copia do processo ao denunciate

    Tá na página da ADUFPI: http://www.adufpi.org.br/noticias/boletim-adufpi-encontro-da-adufpi-com-a-regional-de-picos-se-da-em-clima-de-indignacao

    Gostaria de conhece-los

  • Edwar  On 17/05/2011 at 1:34

    A batalha esta sendo perdida para o autoritarismo reacionário e esquizofrênico, na UFPI, justamente na política de comunicação, que tem sido negligenciada por boa parte de nós. Por isso, eu louvo maximamente iniciativas como essa, que, à luz dos fatos, vai ajudando a esclarecer e informar. Há muitas outras informações a serem agregadas. É importante sentarmos para conversar. Parabéns pela iniciativa.

  • Kilpatrick  On 17/05/2011 at 10:00

    Prezado Agrt,

    Em primeiro lugar, parabéns pelo texto. De fato, há muitos problemas graves de ordem institucional na UFPI. Há, porém, nesse primeiro comentário, algumas correções a fazer. O reitor não me exonerou. Ele diz publicamente que me exonerou. Mas eu me exonerei. Tenho o ato de exoneração. Caso queira publicá-lo, posso entregar-lhe. Na verdade, antes da formalização da exoneração, tive, diversas vezes, interesse em exonerar-me. A familiarização com a rotina administrativa da Copese, a adesão ao Enem, a fusão de duas comissões, a antiga Copeve e a Comissão do Setor de Recursos Humanos, a realização simultânea de vários processos seletivos, a revisão do edital do Psiu (mais de 20 retificações), a problemática dos pagamentos foram me induzindo a perceber, paulatinamente, que o reitor era avesso ao respeito à lei. Não tenho a ingênua concepção de a lei sempre responda por si, porque, como todo e qualquer texto jurídico, é preciso definir seu alcance e significado. Mas, no caso dos pagamentos da Copese, parece-me difícil negar que houve pagamentos fora do estipulado pelo Decreto nº6.114/07, o qual é regulamentado, dentro da UFPI, por resoluções do Conselho de Administração. Então, o conflito principal eclodiu em razão de meu interesse de pôr a Copese dentro da lei, a fim de proteger o reitor, quando ele, o reitor, em sentido contrário, nunca quis pagar em conformidade com a lei. De todo modo, eu não diria que o assunto morreu. Temos de aguardar o posicionamento de vários órgãos de controle para onde as representações foram encaminhadas. Pessoalmente, tenho procurado acompanhar os seus desdobramentos. Eis a primeira observação que queria destacar.

    Quantos aos problemas da UFPI, há muitos outros em curso. Concursos fraudulentos como o da Nutrição, anulado pela Justiça Federal, ainda não são incomuns na UFPI, isto é, concursos em que o presidente da banca é o ex-orientador do primeiro aprovado. Uma representação produzida pela Comissão de Institucionalização da ADUFPI, da qual faço parte, em razão da anulação judicial, fez com que o Ministério Público Federal recomendasse ao reitor a alteração da resolução vigente. A resolução vigente que trata de concursos para professor efetivo, tolera a presença de ex-orientadores na banca de avaliação de concursos em que ex-orientandos são candidatos. Aliás, o reitor não vê problema algum nisso.

    Há, em verdade, muitos outros problemas, a respeito do quais poderemos tecer novos comentários oportunamente.

    Novamente, parabéns pela iniciativa. Espero que os alunos da UFPI ajam, progressivamente, como você. Concordo, por fim, quando declara que não se trata meramente da pessoa particular do reitor, mas de uma cultura administrativa gerada por ele que deve ser combatida. O autoritarismo tem sido reproduzido em todas as instâncias.

    Cordialmente,

    Prof. Kilpatrick.

    • agrt  On 17/05/2011 at 15:29

      Ainda bem que a internet é um tipo de mídia em que a mensagem pode ser rebatida/acrescentada/discutida, não é um envio unilateral de dados. As informações que você disse em seu comentário é um exemplo de que quando a grande mídia age, ainda faz questão de não explicar direito as coisas, eu jurava que ele tinha lhe exonerado arbitráriamente (de certa forma, acabou o levando a fazer isso).
      Como eu disse no começo do texto, esse “dossiê” foi escrito por notícias da mídia surgidas no #FORAREITORUFPI (twitter) em conjunto com ponderações pessoais a partir do que presenciei na UFPI. Enfim, agradeço as informações adicionais!

  • afonsocepeda@yahoo.com.br  On 25/05/2011 at 1:47

    AMIGOS, O PROF. KILPATRICK FOI DEMITIDO DEVIDO A PERSEGUIÇÃO DO REITOR DA UFPI. LEIAM A MATÉRIA: http://www.cidadeverde.com/professor-da-ufpi-e-exonerado-e-acusa-reitor-luis-jr-reage-78186 . VAMOS DAR O NOSSO APOIO AO PROF. KILPATRCIK

  • Marcio  On 26/05/2011 at 21:43

    A Ufpi é uma verdadeira fachada. O Episódio lamentável de ontem, quando o professor Dr. Kilpatrick foi exonerado do cargo, sem chances de se defender prova isso. Houve a aprovação de uma portaria por uma comissao de 3 professores, mas sequer seus nomes foram divulgados, prova de uma gestão desrespeitosa, ditatorial, fraudulenta. O professor kilpatrick é um dos mais atauantes da universidade, se nao for o mais! O alunado de letras está indignado com essa atitude baixa, de uma pessoa que não aceita de forma alguma opinioes contrarias. Hoje o curso de Letras esta esquecido, os horarios de disciplina sao esacssos, e quando sao ofertadas as disciplinas, nao querem nem saber se o aluno trabalha, estuda em outra faculdade etc. ou seja, nao se preocupa de forma alguma com o aluno. No final de abril, passamos vergonha devido a má organizaçao do EREl (encontro regional dos estudantes de letras). Os estudantes de outros estados foram impedidos de usar o RU e de dormirem na residencia universitária. Teve caso de estudantes que dormiam no chão! E segundo relatos, esses alunos de fora quando sairam do Campus ao fim do evento, puseram seus braços pra fora das janelas do ônibus fazendo gestos obscenos, manifestando sua profunda indignação, como se dissessem: Dane-se o Piauí! Até quando vai se aceitar esse tipo de conduta e mentalidade dentro da Universidade, que deve ser um espaço democrático, com discussões, e manifestações de diferentes ideias? Onde está a democracia? A Ufpi está parecendo que regrediu pra idade média, na época do sistema feudal. E Infelizmente, tem um bando de puxa-saco do reitor, a sua turminha.O professor Kilpatrick foi vítima de uma verdadeira covardia. Mas eu digo a voces que todo império cai. Gostaria que isso acontecesse antes de terminar meu curso. Abaixo o Ditador Da Ufpi!! APOIO AO PROF. KILPATRICK!!

  • F. Newton  On 20/07/2011 at 14:55

    Há elementos que têm ódio do desenvolvimento conseguido por aqueles que fazem verdadeiramente a UFPI. Há uma equipe operosa trabalhando e uma minúscula tentando macular a honra de quem trabalha. O que há, realmente, é uma disputa pela Administração Superior, porém muito suja, pois esta turma do terrorismo não tem nem esboço de proposta de administração. Estão apenas plantando ruindades que vão, em efeito bumerangue, pegá-los, pois ninguém aguenta uma administração feita por terroristas assumidos, incrédulos, nojentos, aperando em patuscada. Uma prova de tudo isto é a contrariedade manifesta aos principais planos, programas e projetos produzidos e efetivados por muitos docentes, discentes e técnicos administrativos, que buscam engrandecer a UFPI, enquanto meia dúzia de seis tentam enxovalhar o brioso nome da UFPI em função de carreirismos de alguns, interesses partidários, dentre outros. Esta turma pode ser chamada de “Turma dos Zés-Nadinhas”: não fazem nada pela UFPI, sendo que parte deles nem aulas dão, sob o manto de um discurso aleatório. Mesmo que uns não queiram, a UFPI está cada vez melhor. É só ir lá e constatar: mais docentes, mais cursos, mais vagas (graduação e pós), mais obras e serviços, mais livros, mais restaurante, mais campi, mais laboratórios, mais conceito dos cursos etc. A UFPI É MAIS, E SERÁ SEMPRE MAIS E MELHOR. MESMO QUE UNS NÃO QUEIRAM.

  • F. Newton  On 28/07/2011 at 2:50

    Pelo que sei o Dr. Kilpatrick foi exonerado pelo Reitor da COPESE. Não foi o Dr. Kilpatrick que “se” exonerou do cargo em comissão (CD). Foi exonerado por dois motivos: incompetência e leniência. Também foi exonerado pelo Reitor pelo resultado crítico obtido no Estágio Probatório feito pelos seus pares, dando ampla chance de defesa e contraditório. Só que o mesmo pensava que era brincadeira a avaliação de Estágio Probatório e desdenhou da avaliação por ser “homem-bomba da ADUFPI-Al-Qaeda”. O Juiz concedeu liminar ao retorno do Dr. Kilpatrick, porém em sede de liminar. O mérito ainda virá.

    • kilpatrick  On 17/09/2011 at 12:04

      De fato, agora, com o parecer favorável à minha reintegração e a indicação expressa da nulidade da portaria teratológica, estou de volta.
      O prof. Newton falta com a verdade, o que lhe é característico, ao declarar que tive chance de ampla defesa e contraditório. A exoneração vinha sendo alardeada por ele nas assembleias da ADUFPI. Como se o estágio probatório fosse um período de suspensão dos direitos civis, constitucionais e políticos. Retrata bem a degradação institucional extrema da UFPI, uma usina de delitos. Você deveria comentar o descumprimento da decisão judicial do seu reitor por dois anos ininterruptos. Isso é o caos institucional generalizado. Deveria também dar conta do que se faz com os recursos federais quando passam pela Fadex, a fundação de apoio onipresente na UFPI. Isso é terrorismo enlameado com corrupção em escala. O mérito ainda virá.

      • Nunca alardeei sua exoneração; nem antes, nem depois. Quer, de forma traiçoeira, me colocar numa situação que nunca busquei. Apenas lamentei o acontecido, pois o exonerado se apresentou como “homem-bomba da ADUFPI-Al-Qaeda”, para fazer o que fez, apenas para ser transformado em “vítima barata”. Acho que esta velha estratégia já está manjada demais. O que aconteceu é que o prof. Kilpatrick desdenhou da Comissão, às escâncaras, não a respeitou, e não apresentou sua defesa, mesmo tendo-se dado a chance, pois legal, além do que achava que nunca seria possível a sua exoneração, pois caso acontecesse, com de fato, teria um mote de campanha eleitoral.

  • Rejane  On 10/08/2011 at 3:54

    Espero em Deus que este senhor não faça seu sucessor, pois está na hora de assumir alguém que respeite a democracia e as leis. Até pq os que constam na famosa lista são tão inimigos da democracia e das leis quanto o chefe.

    • F. Newton  On 24/08/2011 at 1:43

      Rejaninha, você está precisando saber o que é democracia. Democracia não é só falar; é falar, porém é preciso fazer as coisas. O reitor vai fazer o seu sucessor para que a UFPI não se atrase; pelo contrário, a UFPI precisa continuar neste galope, andando sempre para a frente. Tchau, bacurau!

      • Fred  On 01/09/2011 at 5:27

        Newton babão, puxa-saco…
        HU parado há muito tempo, uma vergonha. As verbas vieram.
        Professor usando cartão corporativo à toa.
        Bolsas de pesquisa, graduação e pós, manipuladas pelos ‘amiguinhos’.
        A própria entrada na pós-graduação é vinculada a uma ‘entrevista’ onde só os ‘amiguinhos’ e babões passam.
        Pra quê concurso, se comprovadamente existem ‘amiguinhos’ empregados não se sabe como?
        Gastos com ‘estética’: guaritas caríssimas e inúteis (vazias?); recuperação das paradas de ônibus custou (cada uma) milhares de reais…
        Me dá um cartão corporativo desses pra eu ficar botando gasolina no meu carro também!
        Vários professores na instituição, mesmo com vinculação exclusiva, dão aulas em colégios particulares ou outras faculdades, deixando a UFPI abandonada.
        Professores que passam de mais de mês (sem exageros) sem pisar na UFPI… E vai reclamar nas coordenações pra ver o pé-na-bunda que te dão, pois o ‘amiguismo’ é forte entre os sacanas.
        Cursos ditos ‘noturnos’ que serviriam pra o aluno poder aproveitar o dia com trabalho ou outras coisas pessoais, são só nome, pois não existe oferta de disciplinas somente à noite, como deveria ser (e pro curso completo!). O que tem são horários fragmentados, que o aluno tem que decidir se passa o dia todo lá dentro da UFPI ou se assiste uma aula pela manhã, outra à tarde e outra à noite… Quando tem oferta da disciplina… Quando tem sala disponível, quando tem professor disponível… mas ele não vai estar disponível pois ganha muito melhor estando no colégio ou faculdade particular. À noite as coordenações ficam entregues às muriçocas, não tem como fazer reclamações nem nada.
        A matrícula na UFPI é uma piada… nem sei porque eles disponibilizam uma página web pra isso, se não funciona, tem que ir lá na instituição mesmo.
        Dentro da BCCB tem um par de funcionariozinhos lá que usa dos poderes que têm com as reservas de livros pra livrar a cara de seus ‘amiguinhos’, quando eles atrasam ou têm que levar algum livro ‘na moita’.
        Aliás, a BCCB é a única universidade que eu conheço onde os periódicos científicos ficam ‘escondidos’, sem poder fazer consulta livremente (são revistas e jornais, por favor, o aluno tem que ‘folhear’ pra encontrar as coisas). Pra buscar algo na revista ‘Nature’, por exemplo, o aluno têm que já ter previamente uma ideia de que revista buscar e o número do artigo, o que é um absurdo! Ora mais, privaram o aluno de ler livremente os periódicos científicos!
        Tá debaixo do nariz de qualquer um, só não vê quem é babão como o F. Newton.
        A filha do ex-prefeito S. Mendes tinha um cargo de assessoria especial na reitoria… A troco do quê? A troco da irmã do reitor ter um cargo de assessoria no HUT… tá debaixo da venta!
        O babaca babão F. Newton esquece que ir pra frente não é chupar as meias do governo federal pra conseguir grana (dinheiro que sai pelo ralo em gramas aparadas, guaritas de 70 mil reais (vazias), hospital cheio de máquinas caras e se perdendo [‘O Grande Elefante Cor de Rosa’], em cartões corporativos, em segurança particular pro rei, e lá se sabe o quê mais (sabemos sim, falta o MPF e a PF tomarem vergonha e botarem uns agentes descaracterizados na UFPI como alunos e funcionários pra pegar esse povo no flagra.)
        Ir pra frente, Newton babão chupa-meias, em uma universidade, é produzir conhecimento de verdade (e não essa maquiagem de linhas de pesquisas caducas atreladas aos ‘amiguinhos’ que a décadas conseguem financiamento do CNPQ, etc, pra ficar na mesmice), é fazer pesquisa e ensino com honestidade, não copiando o trabalho dos outros e botando um nome qualquer, é ser exemplo em administração e não de desmandos, exemplo em liberdades, não em punições…
        Seu F. Newton babão, a UFPI está ‘galopando’ mesmo, já que o galope é coisa pra cavalos…
        Newton babão, tem mais coisas, as pessoas sabem…
        Uma vez babão, sempre babão…

  • F. Newton  On 03/09/2011 at 13:51

    Este “Fred” se esforça para mostrar o que não existe na UFPI. Vamos continuar trabalhando, e muito, fazendo o que deve ser feito. Não adianta tentar usar de “guerrilha suja”, pois o desenvolvimento na UFPI é límpido, visível, auditado e abundantemente aprovado pela maioria. A esquizofrenia vai continuar rosnando até trincar-se e se espatifar no nada. “Fred” é um dos “Zé-Nadinha”: não fazem, nunca fizeram e nem farão nada de bom para a nossa UFPI. O HU está qualificado, foi redimensionado, toda a parte física e infraestrutural está concluída; o que falta é somente fazer o concurso para pessoal tão logo a Presidenta ordene. Você, “Fred”´, é uma das pessoas peçonhentas que não querem, na verdade, a abertura do HU. “Você” vai ficar escumando de doidice, mas o HU será inaugurado em breve, para colaborar com os piauienses ordeiros, que querem progresso, desenvolvimento, cidadania, trabalho … Você, e seu grupelho, vai continuar sendo mais um “Zé-Nadinha”. Não passará disso. Continuaremos trabalhando para dignificar a UFPI e toda a Comunidade Universitária. Com força, sabedoria e objetivação, pois a UFPI precisa. Avante, UFPI. Avante, sempre. Vamos deixar o atraso na poeira.

    • Fred  On 05/09/2011 at 10:20

      Olá, Newton Babão. Quando tu tenta quebrar meus argumentos está tentando quebrar o argumento de centenas de outras pessoas que sabem das mesmas coisas. Tu acha realmente que o Ministério Público foi acionado por moleques? Tu acha quem foi que acionou a Polícia Federal? Tu acha que o MP e a PF estão de brincadeirinha de receber fofoquinha? Sujeito, tu já foi no MP pra ver o tanto de coisas que eles te pedem pra começar uma ação? Tu acha que os promotores lá ficam de gracinha e escutam qualquer um? Pense bem.
      O próprio Ministro da Educação, Fernando Haddad, abriu 5 processos contra o reitor🙂 ‘http://www.gp1.com.br/noticias/ministerio-da-educacao-abre-varios-processos-contra-o-reitor-da-universidade-federal-do-piaui-206949.html#’.
      Tu acha que os técnicos da CGU mentiram quando constataram várias irregularidades em licitações? Só nisso foram mais de 100 mil Reais pra cucuia. Não era pra ter ido irregularmente nem 1 único Real.
      Sujeito, tomara que o HU vingue algum dia, não fique só no mentirol, porque o dinheiro que já foi perdido nele… ‘http://www.youtube.com/watch?v=3sVc5E0PU8k’ … agora não vai dizer que este vídeo foi forjado, por favor.
      Quando eu digo que quero um cartão corporativo pra ajeitar meu carro também, é só olhar a lista dos denunciados, veja os nomes relacionados ao CCE, por exemplo, procure saber se o(a) denunciado(a) consertou (manteve) sua camioneta importada com que tipo de grana… É só um exemplo, as pessoas sabem, não são burras.
      Ops… olha outra irregularidadezinha aqui… ‘http://www.portalaz.com.br/noticia/educacao/225906_depois_de_acao_no_mpf_ufpi_retira_nome_de_pessoas_vivas_dos_predios.html’ . Essa é tão inocente…
      Blá blá blá.
      Será que as coisas que eu disse não são de verdade? Mesmo assim sempre é bom averiguar e corrigir os erros, não acha? Se existem denúncias, o primeiro que tinha que se manifestar seria o reitor, correr atrás… Mas ele faz é virar as costas e dizer que é tudo mentira ou intriga política…
      É óbvio que todos querem uma UFPI melhor, se reclamamos, criticamos e denunciamos, inclusive tendo que ir ao MP, etc, é porque queremos mudanças.
      Os que criticam, e toda a sociedade que é a verdadeira dona da UFPI, também temos nossas razões, ou tu acha realmente que todos os que criticamos e vamos denunciar lá no MP somos uns rasteiros?
      Quem tem que tomar as decisões de como deve ser a UFPI é toda a coletividade, não um pequeno punhado de ‘amiguinhos’. Se a comunidade diz que não quer só aparências, pode crer que a comunidade está com a razão.
      Sujeito, pense bem, a UFPI é da sociedade, é ela quem manda, são os alunos, servidores, professores, etc. O reitor virou reizinho, mas ele é só um funcionário a serviço de toda a comunidade acadêmica. É uma pena que a justiça brasileira tenha toda essa lentidão característica, porque senão o reizinho já tinha caído como caiu o reitor da UNB.
      Pense direito, sujeito.

  • F. Newton  On 07/09/2011 at 2:21

    Estes produtores contumazes de ações junto ao Judiciário contra o desenvolvimento da UFPI agem no sentido precípuo de paralisar a Administração da UFPI (Superior e Setorial) em TPE (Tensão Pré-Eleitoral). Acho, Fred, que a estratégia implementado por vocês é suicida e própria de quem tem zanga. Posso tomar a liberdade de lhe chamar de babão dos zangados e resmungantes viajantes de uma estrada etérea rumo ao nada. Para seu governo, as contas da UFPI foram todas aprovadas pelos órgãos controladores: CGU e TCU. O que há por parte dos amontinados é uma indecente tática rescisória permanente que será fatalmente detectada pelo Judiciário.

    • Fred  On 10/09/2011 at 11:35

      http://www.gp1.com.br/noticias/policia-federal-avanca-em-investigacoes-na-ufpi-para-apurar-crime-de-peculato-210663.html

      Polícia Federal avança em investigações na UFPI para apurar crime de Peculato
      Além do crime de Peculato também está sendo investigado o desvio de recursos públicos supostamente ocorrido na COPEVE.
      Da Redação
      Foram convocados a comparecer à Superintendência da Polícia Federal, para prestar depoimento em Inquérito Policial Federal aberto para apurar o crime de Peculato supostamente praticado pelo atual Pró-Reitor da PRPPG, Saulo Brandão, vários dirigentes, ex-dirigentes, membros e ex-membros da COPEVE, atual COPESE. Entre os intimados estão o próprio Saulo Brandão e o atual presidente da COPESE.

      Além do crime de Peculato também está sendo investigado o desvio de recursos públicos supostamente ocorrido na COPEVE quando da gestão do senhor Saulo Brandão. Em roda pequena, tem circulado a informação de que alguns dos intimados estariam dispostos a negociar uma delação premiada com o Ministério Público Federal. O Pró-Reitor Saulo Brandão já enfrenta, na Justiça Federal, Ação Civil Pública por Improbidade Administrativa.

      Mais outro e vamos que vamos!

    • kilpatrick  On 17/09/2011 at 12:08

      Newton, gostei do qualificativo emprestado pelo colega acima. Deixe de faltar com a verdade e reconheça que nenhum dos relatórios de auditoria da CGU aprova as contas da UFPI. NENHUM.
      Pior, todos eles apontam IRREGULARIDADES GRAVÍSSIMAS. Entre as quais, devemos ressaltar as DISPENSAS DE LICITAÇÃO POR MEIO DA FADEX.
      O esquema deve ser explicado para todos.
      Os recursos federais vêm. A FADEX recebe. Não há licitação, nem contratação por concurso. DEUS SABE O QUE ACONTECE COM O DINHEIRO PÚBLICO.

      Assim tem funcionado a UFPI há alguns anos. Isso explica a arrogância ilimitada desse reitor e seus asseclas impenitentes.

      • Deus e a maioria dos que trabalham na UFPI sabem o que é feito com o dinheiro: obras e serviços de qualidade e necessárias ao desenvolvimento da UFPI. Este discurso-mole, em cuspideira e de forma rescisória permanente será desmascarado, pois sairão para uma campanha sórdida que já começou desde quando estabeleceram um tribunal de exceção àqueles que pensam diferente dos inertes e imprestáveis, ou seja, a equipe dos Zés-Nadinha, pois não fazem quase nada pelo engrandecimento da UFPI, a não ser a baixa trivialidade comum a este tipo de gente. O “qualificativo emprestado por um omisso e covarde”, além de mira-sem-alvo é também peçonhento. Esta estratégia plantada por insanos não logrará nenhum êxito, pois tem um erro original, qual seja, a eleição está chegando e vocês estão apenas esperneando que nem emboá. De “assecla impenitente”, em pecha vil, prefiro ser um trabalhador pelo desenvolvimento da UFPI e integrante de uma equipe operosa, produtiva e honrada.

      • O Dr. Kilpatrick apenas tenta destilar veneno e colocar fumaça nos olhos dos incautos. As referidas contam remontam de 2006. Ora, estamos em 2011. 5 anos depois. Será mesmo que a CGU ainda não analisou tais contas em sua inteireza? Sim, teacher, as contas foram aprovadas. Apenas você recolhe uma ressalva dentro do processo, às primeiras páginas, e a expulsa do processo, faz todo o malabarismo, porém não focaliza a decisão final que dá o resultado do processo. Por quê?

  • Acho esta estratégia eleitoral adotada muito perigosa, qual seja, a de insistir numa estratégia rescisória permanente, utilizando a mídia e a Justiça. Os adversários ao desenvolvimento da UFPI não têm escrúpulos.

    • kilpatrick  On 15/10/2011 at 7:16

      Pessoal,

      A melhor resposta para os que se remuneram com um esquema corrupto são documentos.

      Há documentos comprobatórios de que a FADEX é usada para obras, entre outras operações heterodoxas, o que é proibido por lei.

      O responsável por este site deve procurar-me para ter uma cópia da AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROMOVIDA PELO MPF para que a UFPI não CELEBRE ‘CONVÊNIOS’ E CONTRATOS COM A SUA FUNDAÇÃO DE APOIO, A FADEX. (‘CONVÊNIOS’, porque são contratos disfarçados de convênios).

      Há uma decisão judicial para que CESSEM ESSAS OPERAÇÕES. Essa decisão foi, INDISCUTIVELMENTE, descumprida por dois anos pelo magnífico reitor.

      Compreendam a gravidade disso: uma entidade paraestatal, uma fundação de apoio, de caráter privado, USA RECURSOS FEDERAIS ILICITAMENTE EM ESCALA!!!

      Quanto à qualidade das obras, basta transitar pelas ‘novas’ edificações da UFPI em seus diversos campi a fim de verificá-la. Goteiras, rachaduras, infiltrações, etc. Além disso, há quem realize reinaugurações!!!

      O fundamental é compreender que a FADEX TEM GERENCIADO OS RECURSOS DA UFPI. SIGNIFICA DIZER QUE AS LICITAÇÕES SÃO DISPENSADAS PARA ATIVIDADES DE CARÁTER PERMANENTE, COMO OBRAS E CONTRATAÇÕES DE PESSOAL. ALÉM DISSO, O PESSOAL DA UFPI É USADO PARA OPERAR A FADEX, sem a contrapartida exigida por lei.

      QUANTO À DITA ELEIÇÃO, É PRECISO INFORMAR QUE O PLEITO QUE SE AVIZINHA É UMA CONSULTA, NÃO UMA ELEIÇÃO EM SENTIDO ESTRITO.

      ALÉM DISSO, HÁ INDIVÍDUOS QUE AGRIDEM INDISTINTAMENTE SEUS PARES E OS ESTUDANTES, PORQUE SABEM QUE TERÃO O DINHEIRO PÚBLICO DESVIADO DE FONTES DIVERSAS PARA ESCUDÁ-LO EM EVENTUAIS AÇÕES JUDICIAIS.

      MUITA LAMA. MUITA LAMA. MUITA LAMA.

      VAMOS BUSCAR A MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO PARA MUDAR O CENÁRIO DA UFPI.

      • A melhor obra é o que se vê na UFPI. Todos os indicadores, sem nenhuma exceção, foram melhorados. Poderíamos ter trabalhado mais, porém os contrários à UFPI, movidos por ira, não fazem outra coisa senão tentar nos imobilizar com aleivosias, judicializando e partidarizando todas as questões. A justiça perceberar esta insanidade feita por zés-nadinha. O cenário da UFPI já foi mudado com muito trabalho. Vamos melhorar a UFPI ainda mais.

  • A UFPI já foi transformada, pois o programa de administração aprovado nas urnas foi todo executado, com qualidade. Os contrários apenas urram, gaguejam e se esfolegam. A última pá-de-cal será o funcionamento do nosso HU. Dá-lhe UFPI, para quem trabalhou e trabalha por ela.

    • F. Newton  On 17/07/2012 at 20:23

      Por fim, o soneto foi abundantemente apalpado: o Dr. Kilpatrick é candidato a Reitor numa chapa laranja (Chapa 3) da chapa rosa-choque (Chapa 1). Este é o fundamento: fazer aquela política da cuspideira teórica sendo prenhe de imprestáveis argumentos, pois fazem parte da turma dos “Zés-Nadinha”. Taí, Fred! Estão agora, em última cartada, tentando postergar, via empurra-justiça, a eleição para reitor, até chegar o momento de uma intervenção, onde esperam ser nomeados “pro tempore” e dirigirem o pleito. Isto, sim, é planejamento golpista, pois sem voto e sem democracia.

  • Epílogo: O Dr. Kilpatrick perdeu até para os brancos e nulos. O Dr. Edwar, da rosa-choque, viu que o trabalho vence, mesmo que uns não queiram.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: