Wikileaks: as frentes de batalha

(Antes de mais nada, caso você não saiba o que anda rolando na na Web envolvendo o a organização Wikileaks e Julian Assange, recomendo a leitura desse texto ótimo do Voz do Além no blog-irmão Nerds Somos Nozes e este outro texto do blogueiro e também nerd André Forastieri, porque aqui vamos direto ao ponto.)

O Wikileaks solta na rede 250.000 documentos dos serviços diplomáticos dos EUA. O site já havia divulgado documentos pesados sobre as guerras no Afeganistão e no Iraque, mas parece que agora o pessoal ficou realmente bravo. Políticos republicanos nos EUA (como Sarah Palin) conclamaram que Julian Assange deveria ser caçado e preso como um terrorista. E eis que os Caras-Cinza começam a se mexer.

Da Suécia surgiu uma acusação dupla de “sexo forçado e sem preservativo” contra Assange, o que foi suficiente para para colocarem a Interpol atrás dele. Ele se entrega à justiça inglesa e aguarda sua primeira audiência encarcerado. Se a Suécia vai conseguir a extradição ainda é uma dúvida.

A Amazon deixou de hospedar o Wikileaks. O PayPal deixou de receber doações para o site. Os cartões de crédito Visa a Mastercard deixaram também de receber doações. O banco suíço onde Assange tinha suas contas congelou seus bens. Todos alegando que as “atividades criminosas” de Assange e do Wikileaks violavam os contratos de prestação de serviços.

Nada disso iria parar o Wikileaks e o vazamento dos documentos. Mas por que então todo esse circo? Marketing de guerrilha. Ao ver Assange se fodendo com ataques vindos de polícia, governos e até empresas, a idéia é mostrar que “ou você fica na sua ou vamos dar um jeito de colocar na sua bunda”.

Mas os Cara-cinza cometeram um erro fatal: criaram um mártir. Pior ainda, confirmaram várias teorias que antes pertenciam somente aos “teóricos do conspiração” e subestimaram a inteligência da população em geral. Sejamos francos, NINGUÉM levou a sério que foi “mera coincidência” as acusações já arquivadas contra Assange serem reabertas agora. E a porrada veio forte.

Um grupo intitulado Anonymous resolveu bater de frente com tudo isso atacando os sites que prejudicaram Assange e o Wikileaks. E neste semana caíram via ataques DDoS os sites do banco suíço que congelou as contas de Assange, o PostFinance, o site de Sarah Palin, o site do advogado sueco que está representando as moças que acusam Assange de estupro e, pasmem, os sites da Visa e do Mastercard! A essa operação foi dada o nome de Operation Payback (“Operação Dar o Troco”).

O Anonymous não possui líder, base de operações ou qualquer tipo de organização formal. Juntam-se quando tem que fazer algo, fazem e depois desaparecem. Usando programas como o Tor ou botenets (os chamados “computadores-zumbi”), é praticamente impossível rastreá-los, identificá-los e, por consequência, capturá-los.

Notem que eles somente tiraram os sites do ar e não os serviços em si, pois também estão fazendo Marketing de Guerrilha. E o recado aqui é muito similar aquele dado por Tyler Durden ao chefe de polícia na cena do jantar do filme “O Clube da Luta”: “Não mexa conosco”. Por hora eles ainda não causaram nenhum dano real ao sistema, mas NESSE EXATO MOMENTO estão tentando derrubar do ar o site do PayPal e aí sim a brincadeira começa de verdade.

Me perguntaram ontem se essa galera não está “pegando pesado” e eu digo que não. As empresas e governos deixaram muito claro o que estão defendendo, escolheram seu lado. E agora te que arcar com as consequências disso. E o pessoal do Anonymous tá pouco se lixando aos possíveis danos que suas ações vão causar. A operação não chama “dar o troco” à toa. Um elemento que as pessoas que não militam esquecem é que um movimento como esse tem o papel de DESTRUIR. Isso mesmo, movimento reivindicatórios não tem NENHUMA OBRIGAÇÃO de propor soluções para os problemas dos quais reclamam, existem pessoas eleitas e concursadas trabalhando para isso. O papel de um movimento reivindicatório é reivindicar e só. Aí o governo/empresa senta na mesa de negociação com a galera e tenta um acordo.

Então o Anonymous está reivindicando a soltura de Assange e usa como isso as armas que tem. “Não dava pra fazer isso de maneira mais civilizada?” me perguntam alguns. NÃO! Já leram “V de Vingança”? Lá temos um sujeito que simplesmente destrói tudo. E só. Ela não tem as soluções e nem quer saber delas. Tanto que arruma outra pessoa para arrumar DE UM JEITO DIFERENTE DE COMO ERA antes do estrago que ele fez

E é aí que entram as outras frentes dessa guerra virtual.

Com servidores sendo “convidados” a não hospedarem o Wikileaks, corremos sério risco de não ter acesso ao conteúdo do site, então estão criando diversos “sites-espelho” para assim ser impossível apagar tudo o que foi divulgado.

Também estão sendo criadas alternativas de doação de dinheiro para a manutenção do Wikileaks.

Fizeram uma petição pela soltura de Assange e pelo fim da perseguição ao Wikileaks. Você pode assiná-la aqui.

Mas a principal coisa que podemos fazer é divulgar tudo isso. Seja em blogs, Facebook, Twitter, e-mail, cartazes na rua ou conversas de bar, FALE SOBRE ESSE ASSUNTO, explique o que está ocorrendo. Mais que uma guerrilha de marketing, essa é uma guerra ideológica.

Nós do Nerdevils escolhemos ficar ao lado do Wikileaks. E você?

Leiam também:

Carta de Protesto do Anonymous

#IamWikileaks

Why stopping here?

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Iago  On 09/12/2010 at 22:13

    Na verdade, a “Operation Payback” empreendida pelo Anonymous derrubou os sites do visa e do mastercard por algumas horas. E o api do Paypal (que, ao que entendo, é o que faz ele funcionar nos sites alheios) está derrubado há mais de hora, agora. É muito fácil se juntar aos ataques – pode ser feito por link (menos eficiente mas funciona) – http://files.hl2forums.com/uploads/1e55b2e_JS_LOIC_v0_1.htm *claro que to repassando só pra vcs se informarem e entenderem melhor como funciona* ou pelo programa IRC-LOIC (google it pra saber mais). As configurações são simpĺes e aparentemente o programa é seguro. (pra windows. conheço quem tenha tentado rodá-lo no linux e tenha tido dificuldade, mesmo seguindo todos os passos dos guias para tal).

  • Aleatório  On 10/12/2010 at 0:26

    Até o presidente está do lado da wikileaks.

  • açaíra  On 10/12/2010 at 0:44

    alessio, iago, amo vocês.

  • Edy  On 11/12/2010 at 10:46

    Julian Assange é um escroto!

    • Alessio Esteves  On 11/12/2010 at 11:57

      Você também e nem por isso a Interpol está atrás de você…

  • Edy  On 11/12/2010 at 13:14

    É por que eu só transo com camisinha, e não tenho o mau gosto de usar aquele cabelo boi lambeu.

    • Alessio Esteves  On 11/12/2010 at 18:44

      Eu tomaria mais cuidado ao falar de alguém da família Malfoy…

      • Edy  On 11/12/2010 at 19:04

        Tem razão… e pelo histórico, parece que a varinha dele é indomável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: